24 dez 2016

Depressão não é frescura eu sei por que passei e luto contra ela

porno sexo novinha

Bom para muitos este blog é de humor, para outros este blog é adulto… eu como criador apenas acho o blog uma mistura de tudo com uma presença pessoal de minhas idéias(que sempre mostro na seção “PITACO DO BLOGUEIRO”).

 

Hoje o assunto é o mal do século 21 … DEPRESSÃO, já estava pensando escrever este artigo, mas ontem ao fazer um desabafo em um grupo “vip” de amigos no facebook decidi escrever aqui o que me aconteceu e o que eu passo no momento. Não escrevia antes por medo de preconceito, mas quer saber quem não passou por depressão ainda terá alguém na própria família que terá e com isso ela poderá ter uma noção de tudo que isso envolve.(quem sabe até você possa vir a ter infelizmente)

Em meados de 2011 deixei todo o mundo de lado e resolvi sofrer precocemente o falecimento do meu pai, cometi erros com meus pais mas na hora que meu pai teve um câncer na perna aos seus 86 anos e ainda tinha sido recentemente diagnosticado com “mal de parkinson”. Coloquei tudo na minha vida em segundo plano amigos, namoro e trabalho. Tentei me reorganizar para que pudesse ficar próximo ao meu pai, pois neste momento da minha vida já tinha finalmente conseguido a felicidade de ter o meu canto, meu próprio apartamento. MAS POR MAIS DIFÍCIL QUE FOSSE EU NÃO PODERIA DEIXAR MEU PAI SOZINHO e decidi voltar para ajudar com seus tratamentos.

Vídeo gravado uma semana antes da morte de meu pai

 

Após uma cirurgia em fevereiro de 2012 e com seus recém completados 87 anos cuidei do meu pai enquanto ele se recuperava da cirurgia, intercalando dias em meu ap e dias na casa dele. Foram 3 meses para a recuperação ena última semana de abril passamos pelo seu médico que finalmente liberou ele e disse que ele estava curado do câncer.Para tristeza de nossa pequena família após 3 dias liberado ele caiu em seu quarto enquanto tentava ir ao banheiro e quebrou o fêmur, recebi a ligação de madrugada não sabia o que tinha realmente acontecido com ele, tentava levantar ele só que ele sentia muitas dores, só que mesmo assim queria ir ao banheiro,consegui com muito esforço levá-lo ao banheiro meio que rastejando e após ir no banheiro tive que obter mais forças de não sei de onde para pegar ele como um bebê e carregá-lo para o sofá com muita dificuldade pois estava muito desajeitado carregar ele com todo seu peso e corpo “frouxo”.

 

Meu irmão chegou no inicio da madrugada e conseguimos colocar ele no carro para chegar na emergência do hospital e constatar que ele quebrou o fêmur. Neste momento se iniciou o a segunda etapa do estresse e inferno em minha vida pois meu pai não aceitava depender dos outros(sempre foi muito independente apesar de sua idade avançada). Após 7 dias retornou para casa chegando de ambulância, minhas malas já posicionadas na cama ao seu lado e noites em claro iniciaram.

Não estava preparado para cuidar do meu pai pois tinha 24 anos e em meu sub consciente meu pai que tinha que cuidar de mim, mas estava eu ali praticamente sozinho cansado do trabalho diário, trabalho na internet(meu blog não parou), stress de não dormir e preocupações com o “agora” e o futuro.
Após noites em claro, falta de ser um bom filho ao meu pai eu fui descansar dia 21,22 de julho em minha casa pois era final de semana e minha mãe que era separada do meu pai ficou cuidando dele. No domingo dia 22 voltei com as malas mas estava muito cansado, lembro de ver meu pai sentado no sofá e feliz comendo algo que ele gostava muito e tinha pedido para que minha mãe fizesse para ele.

Minha mãe disse que eu poderia ir descansar e eu me despedi do meu pai sem saber que nunca mais o viria com vida pois logo no inicio da manhã do dia 23 de julho um dia bonito se iniciava com o céu azul mas a ligação que eu recebia não era nada agradável, meu pai morreu em sua cama sem que eu estivesse deitado na cama ao lado para dar minha mão a ele e tentar ajudar de alguma forma.

Meu pai cometeu falhas em sua vida(todo mundo comete) mas ele pelo seu esforço e sua história de luta não merecia ter a vida que teve e muito menos ter seu fim como teve, sofrendo acamado.

Após este período tive meu contato com a depressão em uma escala moderadamente leve… pessoas quem eu confiava me “abandonaram”, discordâncias na empresa, turbulência com inventário(surgiu uma pessoa “desconhecida” para pegar sua parte da herança sem ao menos ter ido visitar meu pai em seus últimos dias) e etc de problemas.

Adquiri síndrome do pânico e não conseguia frequentar mais filas, não dormia mais, até o ponto que fui parar em um psiquiatra, mas não tive coragem de tomar o remédio e muito menos ir a algum psicólogo, tudo isso por puro preconceito e por não aceitar que eu precisava de ajuda.

Passaram se os anos e aconteceram vários problemas que não vou escrever aqui pois se não irá virar um super textão(mais do que já esta virando) em meados de julho de 2016 decidi procurar ajuda psicológica pois percebi que desde o fim de 2011 eu tinha perdido minha essência.

Iniciado o tratamento psicológico eu enfrentei mudanças na empresa, problemas pessoais e etc,e no fim de agosto tive um surto  “crise de ansiedade”, angústia( um forte aperto no peito), falta de ar, sindrome do pânico e uma tontura que se instalou por 1 semana. Após passeios e exames pelos hospitais, otorrino e neurologista no final de outubro fui diagnosticado com stress por tudo que passei em 2016 e nos últimos anos.

 

Não conseguia trabalhar normalmente, o stress tomou conta, tive alopecia areata(queda de cabelo na região próximo a nuca) falta de sono, fortes crises de ansiedade e não conseguia mais ficar em ambientes com mais de 4 pessoas(poderia até ser familiar que eu não conseguia ficar próximo). E A DEPRESSÃO PROFUNDA CHEGOU.

Em um belo dia já me medicando e que eu achei que tudo estava ok, tive sensação que iria desmaiar enquanto dirigia e ao chegar em uma das lojas que eu faço atendimento eu TRAVEI.NÃO CONSEGUIA ENTRAR NA LOJA E MUITO MENOS LIGAR MEU CARRO PARA IR EMBORA, foi preciso um amigo meu ir me acompanhar e ficar conversando comigo durante quase 2 horas até que eu tivesse condições de dirigir e ali naquele momento decidi me afastar do trabalho pois não tinha condições sequer para dirigir. Troquei meu antidepressivo, só que a neurologista que foi uma baita de uma fdp me passou um antidepressivo para aquele tipo de ‘depressivo que não tem vontade de fazer nada'(aqueles que ficam só nos quartos e não saem de casa ou simplesmente do próprio quarto) este remédio me tirou o sono de vez e juntando a minhas crises de ansiedade eu vivi as piores semanas de minha vida.

A neurologista me abandonou no momento que eu mais precisava e de última hora tive que me humilhar para achar um psiquiatra urgente, felizmente consegui atendimento para 48 horas depois(48 horas que se passaram um grande inferno em minha vida) a médica super profissional me passou o que eu sempre precisei e que a neuro “fdp” não me passou, um ansiolítico juntando ao primeiro antidepressivo que tomei.  .  . após tomar o remédio no outro dia minha vida já estava normalizando.

Hoje faz quase 1 mês que passei pela psiquiatra, não estou 100% mas estou no caminho e quero conseguir ser o Christofer Cunha da Silva de antes outubro de 2011.

Sei que o texto ficou bem longo, mas espero que se você tenha um amigo ou até você mesmo esteja passando por depressão ou pelos problemas como estresse, crise de ansiedade busque tratamento antes de piorar e chegar no fundo do poço como eu cheguei. DEPRESSÃO NÃO É FRESCURA.

Se você precisar de psicólogo e psiquiatra você deve ir, se for um problema inicial de depressão talvez em menos de 6 meses o seu tratamento esteja finalizado e você de volta a vida normal. NADA é para sempre e você pode optar por se sabotar e não ir ao médico com medo do que os outros vão dizer ou então enfrentar seus preconceitos e tratar de sua saúde que é a coisa mais importante em sua vida.

Eu estou em processo de mudança espiritual neste fim de ano(2016) e estou confiante que o novo Christofer irá florescer em 2017.

Até mais e um grande abraço e boas festas de fim de ano.

 

 

Todo depressivo precisa de apoio, agradeço a Deus por 4 pessoas que foram os pilares de minha recuperação e até hoje me ajudam a estar me recuperando como eu estou.

TAGS

Comente

14 comentários no post “Depressão não é frescura eu sei por que passei e luto contra ela”

  1. Muito bom sua postagem. Corajosa e importante sua revelação, pois ao fazer isso você está aceitando sua condição de doente. A depressão me acompanhou a vida inteira, mas por volta de 2007 ela eclodiu com tudo em forma de síndrome do pânico. Em 2010 ela atingiu o seu mais alto grau me levando a uma internação e afastamento do trabalho. O tratamento continuado com uma psiquiatra e colaboração de um psicólogo (psicoterapia) me ajudou na remissão da doença que permitiu meu retorno as atividades em 2016. Mas o tratamento continua, e o bom fruto desse período foi a criação do http://www.tedioso.com em 2011.

    Grande Abraço e muita saúde!

    1. sim, acredito que a partir do momento que vc aceita sua condição… isso faz parte para uma ajuda ao tratamento…. espero melhoras para você também e que em um futuro bem próximo vc esteja 100%, pois ninguém merece viver com isso.

  2. Uma das formas de depressão é um mau humor constante. Que alterna os momentos introspectivos. Essa é a minha depressão. Em 3 anos minha saúde deteriorou muito, tive uma pneumonia grave com derrame pleural, aí descobri que estava com infecção renal e cálculos. E esta infecção em jogou prá baixo, um misto de dores e mal-estares com idas e vindas aos hospitais frequentes. Finalmente quando me considerei curado, sucumbi a uma infecção generalizada, uma septicemia, que começou parecendo uma amigdalite mas que acabou atacando minha perna direita virando uma erisipela bolhoso bastante dolorida. Em um mês de internação, só não doía no último dia já de alta. Aí eu descobri que tinha perdido toda minha força. Sempre fui um cara parrudo tipo fordo (forte e um pouco gordo), agora mal conseguia caminhar sem amparo e muito menos subir escadas. Moro num apartamento no primeiro andar e sem elevador, e peno para subir e descer. Descer é perigoso os joelhos não firmam e às vezes dobram-se e eu caio. Reclamando disto, médicos pediram um monte de exames, inclusive doppler diversos e tomografia. Redução de fluxo sanguíneo nas carótidas, irrigação deficiente do cérebro, e também desenvolvi problemas cardíacos ligados a hipertensão. Todo esse desenrolar transformou-me numa criatura intolerável aos familiares próximos. Que infelizmente tem razão! Aceitei as reclamações e assumi a alternativa Raul Seixas – “…Esperando a morte chegar!”. Penso cada vez mais que para mim a morte é bem vinda! Não por desespero ou tristeza profunda! Mas estou de saco cheio da minha vida! E luto pra tolerar viver mais um dia! Por que ninguém entende quem está depressivo! E não tomo nenhuma medicação para isso! Quando tomava prozac eu tive alucinações e ficava completamente chapado! Então não tomo nada!

    1. Poxa Augusto, acho que não é por ai…. sei que cada um tem um tipo de depressão e apesar de eu ter posso não entender todos os seus sentimentos.

      Eu me senti e as vezes me sinto intolerável para familiares ou amigos, mas sempre nessas horas de você menos esperar pode vir um apoio…. e concordo que ao mesmo tempo é dificil encontrar pessoas que entendem uma pessoa depressiva….. eu por exemplo tenho uma amiga que se tornou “GRANDE AMIGA” após minha depressão pois em um momento de desabafo meu com esta pessoa ela se abriu e contou que também deve depressão… ali encontrei alguém que sabia e entendia o que eu passei e NESTE MOMENTO ME FORTALECI UM POUCO E NÃO ME SENTI UM DOIDO SOZINHO NO MUNDO COMO VINHA ME SENTINDO.

      Tente ver se em sua cidade tem grupos de “terapia” e faça tratamento psicológico e quem sabe psiquiatrico… a vida é complicada mas não devemos desistir jamais.

      abração e melhoras para você.

  3. Parabéns pelo texto. Tenho ctza que irá, aos poucos, reencontrar bases sólidas para caminhar e que isso tudo ficará no passado. Força e um 2017 iluminado para você.

  4. Parabéns pela postura Christopher. Só você sabe exatamente pelo que você tem passado, mas dá pra ter uma ideia de que é muito pesado.

    Essa visão de “depressão é frescura” infelizmente é muito comum, eu também ja pensei dessa forma. Felizmente esse estigma ta mudando.

    É comum tambem ter um certo receio de falar, já que crescemos numa época ainda de valorização do modelo de homem como ‘imperturbável’, o irreal “homem que não chora”.

    Expor isso aqui pode ajudar muito. Talvez te deixe um pouco melhor por compartilhar esse peso, mas com certeza alivia um pouco o peso de quem lê e sente que não ta sozinho nessa.

  5. Olá Christofer,
    depressão é uma miséria mesmo. Também tenho e passo lutas constantes para poder ter um vida normal. Evitei várias vezes ir ao profissional…. medo e vergonha de expressar meus sentimentos. Provável que essa seja uma dificuldade de muitos, se expor para um estranho. Mas desejo que se recupere cada dia mais, assim como sol nasce com força e brilho assim seja sua vida. Que Deus te abençoe. Super abraço.

  6. Poxa, fiquei sentido ao falar do seu pai, que se foi justamente quando parecia se recuperar. Quanto à depressão, tenho um sobrinho com 40 anos, que após tomar cerveja com energético, tomava a cada 15 dias, e poucas, um dia ao fazer o buraco no quintal para virem instalar a piscina, passou mal e levado à UPA, lá, felizmente lá, sofreu o infarto, que os médicos após usar aquele aparelho por muito tempo conseguiram fazer voltar à vida, e depois de semanas na UTI está bem. Desde então, não pode fazer esforço, não trabalhar, nem fazer caminhada e nos últimos 3 meses entrou em depressão, talvez porque fica sozinho em casa, já que minha sobrinha, esposa dele tem que trabalhar, justamente numa usina de álcool para que tenham plano de saúde. Um dia tomou um monte de remédio para se matar, felizmente salvo porque seu filho passou por lá e vendo-o naquela situação, deu-lhe banho e o levou ao hospital. Passa por psicólogos, psiquiatra mas, não gosta de conversar. Eu e minha esposa vamos lá, mas após poucos minutos ele pede desculpas e vai para o quarto. Será que pintar quadros não ajudaria?, pois fica sozinho. Valeu muito ler seu texto, e Deus ajude que sare bem, embora parece que já melhorou. Saúde e fique com Deus.

    1. Olha, por mais que um depressivo queira ficar sozinho, não é muito o ideal deixá-lo sozinho em uma casa… mas sim pode deixá-lo em seu quarto… e de vez em quando ir ver o que ele está fazendo,infelizmente caminhada é uma coisa que poderia ajudá-lo, mas como não pode então vamos a outros conselhos.

      Eu particularmente estou lendo mais, ouvindo mais músicas(não músicas tristes), filmes de comédia são uma boa entre outras coisas.

      Ele pode fazer aula de algum instrumento musical se ele interessar, pintura seria algo interessante pois é uma forma de terapia que geralmente acalma e pode fazer o paciente se achar útil e talvez até encontrar ali seu talento.

      Espero que a esposa dele tenha compreensão e esteja sendo o apoio dele pois ela é um dos pilares dele e ela tem que compreender ele e estar ao lado dele sempre que possível, quanto a vocês parentes visitem ele, liguem de vez em quando e force o máximo de parentes o possível visitarem ele, ele tem que se achar querido pelas pessoas.

      Depressão ninguém escolhe ter, é um sentimento ruim que vem aos poucos e quando você se vê já está tomado por ele, estou melhorando mas tomo meus cuidados para desabar novamente. Familia e amigos fazem a diferença neste momento.

      Melhoras para seu sobrinho.

  7. ME IDENTIFIQUEI MUITO COM O SEU TEXTO ESTOU NA LUTA CONTRA ESTA DOENÇA MALDITA, APOIO FAMILIAR E AMIGOS NESSA HORA FAZEM FALTA SE NENHUM DOS DOIS ENTENDEREM O QUE VC ESTA PASSANDO
    MELHORAS PARA NÓS, ESTE SOFRIMENTO NÃO PODE SER CONSTANTE E VAMOS MELHORAR

Comentários