O que é Bitcoin? Como funciona?

Hoje eu vou te explicar em detalhes, de maneira bem fácil, o que é Bitcoin!

Bitcoin é a primeira moeda descentralizada do mundo. Isso significa que você pode enviar e receber dinheiro utilizando apenas a internet.

Mas você deve estar pensando: “Ah, mas eu consigo enviar e receber o meu dinheiro utilizando apenas a internet, através da minha conta bancária digital! Por que o Bitcoin seria diferente?”

Agora a conversa começou a ficar interessante!

A diferença para o dinheiro tradicional

Vamos falar um pouco das suas principais diferenças em relação às moedas fit – aquelas como o Dólar, o Euro e o Real, por exemplo.

Imagine que você quer transferir R$ 1 mil para sua mãe. Você não vai enviar isso pelo correio, vai? Então, é aqui que os problemas começam.

Antes de tudo, cada um de vocês dois deverá abrir sua própria conta bancária, o que significa enviar documentos, passar por todas as análises e tipos de burocracia que nós estamos acostumados.

Aqui nós vemos a primeira vantagem do Bitcoin. Para enviar e receber valores, basta você criar uma carteira digital, semelhante a um banco na internet.

Mas, nesse caso, você não precisa enviar nenhum tipo de documento e a sua criação é feita de forma instantânea, anônima e automatizada.

Pense como se você estivesse enviando um e-mail.

Existe um Banco ou Servidor Central?

Agora você pode estar se perguntando: “mas, afinal, quem controla o Bitcoin e emite essas criptomoedas? Onde estão os servidores de banco necessários para efetivar as transações?”

Lembra que eu falei acima que o Bitcoin era descentralizado e funciona de forma totalmente virtual? Isso significa que não há ninguém que controle o Bitcoin e não existe nenhum servidor de validação.
Tudo é feito através da sua rede de transações, conhecida como Blockchain (em tradução literal, cadeia de blocos).

O que é Blockchain?

A Blockchain é uma rede que funciona como se fosse um livro contábil do Bitcoin. Nela, todas as transações são registradas e validadas de forma automatizada, através da própria internet.

Ao enviar Bitcoins, é gerado um código criptografado que será enviado para a rede Blockchain. Esse processamento da criptografia será feito através de milhares de pessoas espalhadas pelo mundo. Essas pessoas são conhecidas como mineradores. São essas pessoas que, somadas, irão disponibilizar um enorme poder computacional na rede, necessário para garantir a segurança da transação.

Esse mecanismo que fez a validação também é responsável por gerar os novos Bitcoins na rede. O processo de validação das transações e a criação de novos bitcoins é conhecido como “mineração”.

Caso você queira entender mais sobre o processo de mineração do Bitcoin, há vários vídeos explicativos no Youtube.

E as criptomoedas?

À medida que o Bitcoin fica mais popular, mais pessoas começam a minerá-lo. E, como consequência, mais segura a rede Blockchain se torna. É por causa desse processo de criptografia na rede que as moedas virtuais recebem o nome de criptomoedas.

Bem, até agora, você já conheceu as qualidades de segurança e facilidade que o Bitcoin tem, em relação às moedas convencionais. Mas não pense que essas são as únicas.

Posso usar Bitcoin em qualquer lugar?

O Bitcoin é uma moeda descentralizada e funciona na internet do mundo todo. Sendo assim, isso garante que ele seja usado de maneira global. Em outras palavras, se você tem alguns Bitcoins na sua carteira, você poderá gastá-los em qualquer lugar do mundo.

Para você entender melhor, imagine que você tem alguns reais na sua carteira e queira tomar uma xícara de café.
Aqui no Brasil, você conseguirá fazer isso facilmente. Mas e se resolver ir para os Estados Unidos? Você terá que converter os seus reais para dólares, em uma casa de câmbio especializada.

Já com o Bitcoin não existe essa necessidade. Você pode viajar para o mundo todo e utilizar os seus Bitcoins para pagar produtos e serviços em estabelecimentos que aceitarem essa criptomoeda.

Posso converter Bitcoin para a minha moeda?

Se, ainda assim, preferir pagar em dólar, você pode utilizar uma casa de câmbio virtual para tocar os seus Bitcoins para o dólar, real, euro ou qualquer outra moeda tradicional que preferir.

Bitcoin desvaloriza? É infinito?

Por último, mas não menos importante, devemos enfatizar que, além da segurança, facilidade e globalização do Bitcoin, a principal qualidade desta moeda virtual é a deflação!

Como foi mostrado, não existe um Banco Central por trás, que emita novos Bitcoins. Esse processo é feito de forma totalmente automatizada pela própria rede Blockchain.

Apesar de tudo isso, não pense que os Bitcoins serão gerados infinitamente! O misterioso criador do Bitcoin, também conhecido como Satoshi Nakamoto, colocou o limite de 21 milhões de Bitcoins a serem criados.

Além disso, ele também estabeleceu uma dificuldade na geração dessas moedas. Essa dificuldade irá aumentar conforme o tempo for passando.

Esses fatores tornam o Bitcoin uma moeda deflacionária. É a simples lei da oferta e demanda: quanto mais pessoas querem comprar algo que é limitado na natureza, mais aquela coisa tende a valorizar.

Isso é como acontece como o ouro, por exemplo.

Inclusive, o Bitcoin é comparado muitas vezes ao ouro digital, e é por esse motivo que o seu processo de criação levou o nome de “mineração”.

Onde posso comprar Bitcoins?

Se você se interessou pelo Bitcoin há algumas corretoras brasileiras que vendem essa criptomoeda.

No entanto, tenha sempre em mente que as criptomoedas são altamente voláteis, o que significa que seu valor pode variar com o tempo (semelhante ao que ocorre no mercado de ações). Veja a cotação atual do Bitcoin.

Muita gente ganha dinheiro com Bitcoins, mas muita gente perde também, porque acha que é igual a cassino.

E aí, aprendeu um pouco mais sobre Bitcoins e criptomoedas? Deixe seu comentário!
Pretendo escrever mais artigos, ensinando a comprar seus primeiros Bitcoins. O que você acha?

Não esqueça de compartilhar esse post com seus amigos. 😉

Compartilhe!